O nome da banda é ruído/mm (leia-se ruído por milímetro, escreva-se em minúsculas mesmo): uma unidade imaginária criada para representar aquilo que não pode ser descrito/verbalizado. Um quadro, uma paisagem: eventos contemplativos. Esta é a comparação e a aproximação que o ruído/mm tenta desenvolver e registrar com suas composições -  experimentos e sonoridades estranhas que buscam atingir o ouvinte de maneira sinestésica. O som, indescritível. Uma teia de eventos sonoros explorados à exaustão; experimentais, viscerais, criativos. Calma ou explosiva, a música instrumental do ruído/mm embala os pensamentos e faz mexer o corpo em uma mistura que vai do jazz ao punk, da psicodelia ao pós-rock – e o que mais vier.
 
Criado em 2003, em Curitiba, o ruído/mm é hoje um dos principais representantes da cena post-rock brasileira. O quinteto ruidoso vem difundindo seu trabalho nas principais casas de shows e festivais pelo Brasil e exterior, como SXSW (EUA); Red Gorilla (EUA); Lab (AL); Coquetel Molotov (PE); Virada Cultural de SP (SP); Sinewave Festival (PR); Teatro Paiol (PR); Conexão Vivo (MG); Sesc Pompeia (SP); Festival Macondo (RS), entre outros.
 
Na web, a banda amplifica seu alcance através de jornalistas, blogueiros e admiradores de dentro e fora do país. Os discos na carreira são Série Cinza (Ruído Corporation, 2004), A Praia (Open Field Records, 2008), Introdução à Cortina do Sótão (Sinewave, 2011) e Rasura (2014).
 
Formação:
 
•    Alexandre Liblik: piano, teclado e escaleta
•    André Ramiro: guitarra
•    Felipe Ayres: guitarra e efeitos eletrônicos
•    Giovani Farina: bateria
•    Rafael Panke: baixo
•    Ricardo Pill: guitarra